Logo Smeg

ENTREVISTA COM VITTORIO BERTAZZONI

Utilize esta ferramenta exclusivamente para partilhar a página com um amigo. Para fazer uma pergunta ou pedir informações, por favor, use o formulário na página de contactos.

VITTORIO BERTAZZONI, CEO DA SMEG, FALA SOBRE A SMEG E OS NOVOS ELETRODOMÉSTICOS

15/06/2015

Ao longo dos anos, a Smeg nunca parou de inovar. Sempre focada na tecnologia, na pesquisa e na criatividade, a marca está cada vez mais forte, graças à colaboração de grandes arquitetos e designers na criação alguns objetos verdadeiramente icónicos. Desde a primeira máquina de lavar louça "slim", ao design de novas placas, passando pelo mítico FAB28, a tecnologia mistura-se perfeitamente com o design.

Hoje, após o impacto enorme no mundo dos eletrodomésticos, a Smeg está a colaborar com Matteo Bazzicalupo e Raffaella Mangiarotti, da ‘Deep-design Studio’, para criar uma nova e bela coleção de pequenos eletrodomésticos inconfundíveis. As torradeiras, os robots de cozinha, os liquidificadores e as chaleiras, com linhas curvas e cores pastel, dão um enorme impacto a qualquer cozinha. É um caso de estilo sobre a substância? De modo algum! Falámos com Vittorio Bertazzoni, CEO da Smeg, para descobrir o que distingue a marca. A Smeg é uma empresa familiar fundada em 1948. Agora, na terceira geração, Vittorio está a levar a empresa mais longe, puxando pelas conquistas do seu avô, que fundou a marca há mais de um século.

"As pessoas esperam coisas surpreendentes de nós, mas que a funcionalidade seja um dos focos principais. Os nossos produtos têm de ser sólidos para durara anos. As pessoas devem usá-los mas sem terem que olhar para eles de forma entediante."

A cozinha é o coração da casa?

"A cozinha sempre foi o ponto fulcral da casa. É a zona tradicional, onde a família se reunia quando o pai voltava do trabalho, e de alguma forma continua a ser assim. Mas hoje em dia o conceito evoluiu, já não é só um espaço para a família, mas também para receber amigos e passar longas noites de entretenimento. A cozinha já não é lugar escondido, mas um espaço criativo que é noticiado e apreciado. E não podemos esquecer do prazer em cozinhar! Hoje em dia, muitas pessoas têm uma forte paixão pela cozinha.”

Os grandes chefs têm influenciado as pessoas a serem criativas nas suas cozinhas?

"Sim, claro. Eles têm destacado o mundo da culinária e inspiram as pessoas a apreciarem a qualidade nas suas cozinhas, tanto pela comida que criam, como pelos equipamentos que usam para as criar. Eles ajudam também a redescobrirmos a comida saudável. Para nós, é importante produzir equipamentos que ajudem as pessoas a criam refeições saudáveis. Temos também uma função social, e não só estética”.

Em Itália ainda investem nas cozinhas?

"Definitivamente. As pessoas procuram sempre produtos que conjuguem tecnologia e design: investimentos em casa sempre compensam."

Pensa que este investimento também se verifica além-fronteiras?

"A nossa produção é 100% italiana, e temos 17 subsidiárias no mundo. Todos adoram os produtos ‘Made in Italy’, e gostam da ideia dos eletrodomésticos, ou até mesmos dos móveis da cozinha, que refletem o estilo de vida italiano."

Como conseguiram transformar as máquinas de lavar roupa em algo com "glamour"?

"Isso é o que faz os italianos únicos. Tive a oportunidade de fazer o que o meu pai fez à 40 anos atrás; trabalhou com grandes arquitetos, e designers para romper fronteiras e criar peças que vão para além das espectativas e desafiar o consumidor a alterar a forma como vê os eletrodomésticos. Voltando aos anos 70, não foi fácil para o meu pai, mas a sua perseverança valeu a pena, ele é um visionário, e um homem audacioso."

Qual é a sua filosofia?

"Criatividade e a dose certa de loucura. Lembra-se de Erasmus de Roterdão?! ".